O Mal Humano 0.3: CONTENÇÃO

Para pagar uma dívida antiga, a agente Catarina Beja, da Brigada de Crimes Macabros, é obrigada a regressar à sua aldeia natal, perto de Cabeçais de Baixo, para investigar a morte do pai de uma amiga de infância.
Catarina percebe que essa morte é apenas uma de muitas que têm acontecido ao longo das últimas semanas. À medida que a sua investigação avança, é forçada a relembrar os eventos que a levaram a fugir daquele Inferno disfarçado de Paraíso.
Ao mesmo tempo que descobre que nem todos tiveram a mesma sorte que ela, Catarina é confrontada com uma realidade oculta no seio da comunidade. Uma tradição misteriosa que parece de alguma forma ligada ao seu passado…


itunes-buttonkobo-Buy-Button.fw_1badge_kindlesmashwords_button


Comentário do autor: O episódio anterior desta série terminava com uma perseguição a alta-velocidade, numa noite de tempestade, pelas curvas e contracurvas da Serra do Núncio. É provável que este local não vos diga nada, porque é um sítio que não existe a não ser neste universo. Na minha mente fica em Portugal, na zona de Caldas da Rainha, mas não vale a pena irem lá procurar porque não o irão encontrar.
Neste episódio são apresentadas mais duas terras imaginadas – Cabeçais de Baixo e Cortenhal-da-Serra, na zona de São Pedro do Sul e Ventosa –, mas a sua criação não é obra da minha imaginação e sim da minha amiga e autora Elsa Leal, na história Condutores de Almas.
Essa história, além de introduzir um universo mágico com bastante potencial, apresenta-nos a um grupo de irmãs, praticantes de bruxaria, e a toda uma Tradição familiar de práticas mágicas que data do tempo da Inquisição. É a história de uma maldição, de um desejo de vingança insaciável. Mas é também uma história de violência doméstica, de obediência cega, de crença inabalável.
Apesar de encerrar a história principal, a autora deixa alguns elementos para explorar, nomeadamente a existência de outras famílias, com outros propósitos dentro da tal Tradição, bem como da existência de grupos semelhantes noutros locais. Com a permissão da autora, resolvi explorar esses elementos e usá-los como pano de fundo para a apresentação da minha personagem, Catarina Beja.

Depois de leres, comenta esta história aqui:Goodreads-icon

skoob