Como ser um escritotário

photo_1Sonhas em um dia escrever um livro mas não achas que isso é possível? Graças ao novo Curso Intensivo de Escrita sem Critério, também tu poderás concretizar esse sonho e tornar-te um escritotário!

Mas calma!

Antes de mais, verifica se é mesmo isso que queres. Às vezes há pessoas que que acham que querem uma coisa e depois vai na volta afinal não querem. Consegues ter um pensamento lógico e  coordenado? Consegues topar quando te estão a enfiar o barrete? Sim? Então este curso não é para ti.

Queres mesmo participar? Óptimo. Tens um prego à mão? E um martelo já agora? Muito bem. Coloca-te junto a um espelho, posiciona o prego sete a oito dedos acima da orelha (varia consoante os casos, podes ter de experimentar várias vezes até acertar) e dá uma martelada. Não é preciso muita força. A ideia é só furar o crânio, não é ficar com o prego lá enfiado. Retira o prego, inclina a cabeça e deixa escorrer até ficar tantã, põe um penso. Agora sim, podes participar neste fabuloso concurso que se divide em três simples fases:

FASE 1: CRIAÇÃO
Escreve. Não importa o quê. Pode ser o teu nome durante 100 páginas, uma lista de todos os objectos que compraste; pode até ser uma história a sério (se quiseres perder tempo com isso).

FASE 2: AVALIAÇÃO
Envia o teu texto para a nossa equipa de especialistas. O texto deve vir em anexo e não no corpo da mensagem. Não há problema se te esqueceres de colocar o anexo porque ninguém te vai dizer se o texto está bom ou bosta porque o que interessa é participar, não é verdade? É claro que podes sempre pagar um pouco mais e ter direito a uma opinião vaga e cheia de lugares comuns, copiada de um sítio qualquer, que com sorte talvez se adapte ao teu texto.

FASE 3: PUBLICAÇÃO
Dos vários participantes vamos escolher todos para serem publicados. Não porque sejam todos bons, mas porque todos merecem a oportunidade de serem enganados, perdão, agraciados, com a publicação de uma obra. Basta facultarem acesso directo à vossa conta bancária e serão autores famosos de um certo dia para uma eventual noite.

Fica agora com o depoimento de alguns ex-participantes que ainda hoje escrevem.

«Aaaaaaaaaaaartur.»
— Artur, autor do livro “Aaaaaaaartur: um nome para cem páginas”

«Eu achava que não sei escrever, agora sei que não.»
— Salomão Pires, autor do livro “Sabonte”
(Nota do editor: era para ser “Sabonete”, mas enganaram-se na gráfica.)

«Escrever não é só colocar palavras na folha, mas também pode ser só isso.»
— Nicole Martins de Albuquerque e Pinto, autora do livro “EU”

Torna-te também um escritotário e realiza o teu sonho! Descobre como participar através do

Se não for pedir muito, deixe a sua opinião

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s